Paulino Vergetti  Neto_escritor

Meu_Tear Literário_

Meu Diário
05/04/2007 14h59
Balaio de Gatos!
Alvos de intimidação não nos faltam. Nossos passos fazem-se temerários, porque o medo é o maior alimento que temos deglutido sem degustação, apenas pela imposição dos maus tempos criados por bandidos sorridentes que até programas na televisão passaram a ter!
São protagonistas imediatos, mas não apenas isso. Abriram um espetacular canal de comunicação. A deixa da TV Globo poderá ter-se transformado na mais escancarada porta de comunicação para o crime organizado publicar suas fantasias satânicas. Essa ação poderá desdobrar-se em inúmeras outras, piores, mais ofensivas até. Foi o primeiro elo: a corrente pode custar-nos o restinho do sossego. O PCC evidenciou-se dois dias antes do horário eleitoral gratuito: coincidência ou sobreaviso? Quem diria: um bandido encapuzado, representando a maior organização criminosa do Brasil, clamando por justiça?
Acho que a cidadania está descarrilhada e o país está perdendo o último bonde da recuperação da paz e da ordem sociais. Parou no ponto, tateando aterrorizado.
Essa névoa maligna que está deixando baço o olho do Estado, nada mais está fazendo do que alimentar o caos social e energizar a bandidagem.
Tudo mudou! A China, esse gigante de gente, de idéias e de desenvolvimento, representa o maior importador mundial de moda. Pode? Que modelo de socialismo eles estão construindo? O dinheiro do capitalismo que eles chamam de desregime, está enriquecendo a China e mudando a vida por completo de seus cidadãos. Eles estão se esquecendo de que as suas insuficiências de alimentos, energia etc, dependem do resto do mundo e essa, a meu ver, é a maior vulnerabilidade daquele monstro do desenvolvimento. Não sei o porquê da pobre e suja Coréia do Norte permanecer alimentando a burra idéia da fabricação de sua bomba atômica e, com isso, isolar-se do resto do mundo! A miséria norte-coreana é coisa além de lamentável. O país está morrendo de verdade. A ditadura está retirando-o do mapa.
A gente inicia uma reflexão profunda sobre o mundo atual, e a própria reflexão que fazemos nos desorienta. Valores, de um dia para o outro, se transformam em desvalores, conceitos mudam, decisões não são mais para serem cumpridas, a lei não é mais lei. Tudo fica muito confuso e aí entende-se que a cultura anda transitando tão rapidamente, que o resultado de tudo isso é uma transculturação que, em alguns pontos do mundo, chega mansa e é aceita facilmente, enquanto noutros, cai como verdadeiro Tsunami.
Ao meu ver, o maior abacaxi que o processo de aculturação – melhor dizendo – a transculturação –, está provocando, acontece no Oriente Médio. A China vem tirando de letra esse processo todo, mas o Oriente Médio vem cobrindo ainda mais com o véu, suas mulheres oprimidas por ditames religiosos que, até me provem o contrário, são excessivamente interpretados, pondo em xeque a própria liberdade do ser humano que habita aquelas plagas. Estamos diante do samba do crioulo doido, mas parece que quem vai adoecer mesmo é o cão, porque o homem, hidrofóbico, continua nessa cachorrada de vida de cão, abraçando o ódio e algemando os últimos nacos de liberdade e de esperança de quem tem pensado na vida e no mundo de forma mais civilizada.

Publicado por Paulino Vergetti Neto em 05/04/2007 às 14h59

Site do Escritor criado por Recanto das Letras