Paulino Vergetti  Neto_escritor

Meu_Tear Literário_

Meu Diário
23/06/2007 07h59
Déjà vu!
Impressiona e comove a todos nós, inocentes pagadores de impostos, ver o Presidente Lula elogiar a ação da Polícia Federal e ao mesmo tempo tentar inocentar seus irmãos numa possível participação neste último escândalo nacional evidenciados pelos “grampos legais em ausculta telefônica dos tais”. N ao sei o que é mais correto de afirmar-se: ou a Polícia Federal anda agindo mais e melhor nos últimos anos ou o numero de brasileiros corruptos tem aumentado.O pior de tudo isso é que os lentos passos de nossa história social e política têm revelado os mafiosos nascidos desde as primeiras sementes do Brasil- Império até hoje.
Déjà vu e ainda assim arrisco dizer que o visto foi o visto e será o visto ainda por muito tempo. E o pior é que esses quadrilheiros da berlinda atual estão passando incólumes de ano- a -ano.
Um grupo de cientistas americanos conseguiu transmitir eletricidade sem fios condutores. O experimento poderá em poucos anos proporcionar-nos a capacidade de recarrergarmos computadores e baterias sem que para isso careçamos conectá-los através de fios a alguma tomada.
Fazendo um paralelo com as últimas e malignas conexões de corrupção feitas por gordos punhados de brasileiros, principalmente os donos de grandes empresas e políticos renomados, bem que eu gostaria de acreditar que em pouco tempo eles também estivessem nesses elétricos esquemas de roubos e outros tantos crimes, como réus. É que esses não têm mais o que carregarem do erário! Duvido, a vaca é gorda e seu leite farto.
A Derci Gonçalves fez cem anos e continua pornográfica e famosa. O Clodovil é um legislador federal, o mano Vavá inocente.O que nos poderia faltar mais?
Déjà vu! Neste país ainda se vera o inviso e se ouvira o inaudível. É mais do que preciso refazer a nossa história e perscrutar por esperanças novas. A banda podre da sociedade política está demorando a desabar de vez.
Era uma vez uma pátria amada, cheia de samba e carnaval, um imenso latifúndio onde vivem alguns bilionários, poucos milionários e milhões de famintos. Um país com propósitos sérios? Um pais que abriga vergonhosas almas que não param de roubar nossas safras santas. Era uma vez um país que sabia sorrir e que hoje apenas chora. Era uma vez um sonho desfeito de um lerdo governo viciado nas defesas desleais. Era uma vez um país continente e esperança do mundo. Era uma vez um outro sonho e aí tivemos que acordar e não podemos sequer dormir mais, quanto mais sonhar. Era uma vez uma vez! E a vez esta passando!
Impressiona e comove a todos nós sabermos que, mesmo morando neste imenso celeiro natural, importamos o trigo com que fabricamos o pão nosso de cada dia e ainda temos que ouvir com medo ou raiva o senhor Hugo Chávez ofender-nos sem qualquer receio de que receberá um merecido troco das autoridades do nosso país.
O que depreenderão de todo esse nosso modus vivendum contemporâneo nossos netos que só pensaram em seus hojes, no nosso amanhã?
Enquanto a tempestade não passar, teremos que continuar a ouvir as ventanias do crime, da desordem e do desamor,em qualquer trilha que cruzar o homem da pós-modernidade tão cheio de nódoas e peçonhas.
Déjà vu! Ainda veremos muito mais do que merecemos!? O pior está por vir. E de grão em grão vão retirando o alimento da humanidade excluída até que o último dos moicanos- tupiniquim reaja e grite e exija!
Nada mais nos falta ver e sentir. A anarquia está institucionalizada entre os famosos compadres e os solidários irmãos, entre justos e insanos. Haja brasílias para nos tirar o sono! É preciso que o Senhor tenha muita misericórdia de todos nós!

Publicado por Paulino Vergetti Neto em 23/06/2007 às 07h59

Site do Escritor criado por Recanto das Letras