Paulino Vergetti  Neto_escritor

Meu_Tear Literário_

Meu Diário
04/08/2007 08h53
O País do PAM


 


O País foi palco de uma espetacular festa desportiva. Podemos afirmar que ele está preparado para conduzir, de forma acertada, os caminhos de sua política interna, certo? Não, errado! Dessa festa apenas participaram os brasileiros sortudos e talentosos, escolhidos a dedo, depois de exercerem uma maratona ainda maior do que o  que lhes foi a competição em si mesma.


É louvável que tenhamos  nos desempenhado de forma louvável para a realização deste PAM. O País mostrou de que é capaz. Acho que até a bandidagem colaborou com o espetáculo, reduzindo suas ações maléficas, ou então os meios de comunicação, estrategicamente, não acharam por bem divulgar as estatísticas da criminalidade.


Como seria espetacular também se pudéssemos enxergar os nossos jovens estudantes, todos eles  com físico varonil,  tez luzidia refletindo saúde, nessa competição sedutora e os pódios,  atingidos para a efetivação do brilho participativo! Mas o que vemos  na realidade são jovens desocupados, aprendizes do crime organizado, desempregados,, lutando maratonicamente,  ou para concluir seus estudos ou  para arrumar seu primeiro emprego. A bola da vez para eles tem sido a desesperança e o desassossego. O palco festivo passa longe. As medalhas ficam apenas no sonho ou na vibração ao assistir à competição. Muitos desses jovens não podem sequer se dar ao luxo de permanecerem estáticos frente à TV para assistir ao PAM 2007, quanto  mais para comprarem os ingressos e  assistirem  ao show ao vivo.


Não podemos ser pessimistas de tudo. Houve sucesso, crescimento desportivo, envio de uma imagem positiva do país  para o mundo todo. Isso é salutar, encaminhador para um futuro desportivo ainda melhor. Mas que nos sirva de lição, como os reversos das medalhas do nosso cotidiano. Agora, que tudo acabou, que nos fique uma semente, mesmo que minúscula e que os nossos governantes tomem como lição de gerenciamento  a máxima de que, com o esporte e a educação, teremos mais saúde e segurança no futuro do nosso país. E que, quando tudo já for passado, ajamos  no presente e  ofereçamos  aos jovens deste país a oportunidade de serem cidadãos decentes e sadios!


Quem dera aos estudantes de Cuba serem livres como parecem ser os atletas de sua delegação no PAM 2007! Quem nos dera que a miséria viva do Haiti não fosse real e que a alegria de seus atletas fosse a alegria da barriga cheia e da saúde de seus patrícios que lá ficaram porque suas exclusões não lhes permitiram participar ativamente do PAM 2007! Em nossa vila  olímpica também é mostrada a grande farsa de uma representação de paz, saúde, prosperidade e liberdade. Mas a máquina de fazer medalha que, disparadamente,  ocupa o primeiro lugar entre os conquistadores de medalha, é mesmo um país livre, soberano, rico e democrático, conhecido por todo o resto do mundo como Estados Unidos da América.


Que possam ser destruídas em nosso país as Biafras do subdesenvolvimento, da fome, da miséria, da prostituição infantil, do trabalho escravo, do preconceito e da insegurança. Ah como eu gostaria, antes de morrer, de enxergar, nos campos e cidades do meu país, um grande pódio de vitoriosos, cidadãos incluídos e felizes; um país modificado para melhor e com um presente rico e um futuro mantenedor de todas essas sonhadas conquistas.


O bilhete para participar dessa especial olimpíada futurística é o voto. Teremos que praticar a cidadania, através da democracia e fazer valer o nosso direito de escolha dos nossos políticos. Políticos descompromissados  com esse nosso “PAM dos sonhos” não poderão receber as benesses de nossas escolhas; devem  encher, sim, as Biafras das exclusões, todas elas. Mas, aos que defendem as bandeiras sociais da inclusão, a esses sim, teremos  o dever de alçá-los ao pódio do gerenciamento nacional.


Não poderemos  continuar a permitir a nós mesmos que, ao lado de uma vila olímpica tão bem  edificada, possam continuar desvivendo os nossos irmãos favelados da política e da vida cidadã. O PAM que deveremos medalhar o Brasil será o PAM da vergonha na cara e das grandes mudanças sociais, esse sim, merecerá o nosso ouro. Parabéns, Brasil,  pelo revigoramento do seu esporte através dos nossos atletas vitoriosos --- todos os que participaram do PAM 2007! 


 


 


 


 


 


Publicado por Paulino Vergetti Neto em 04/08/2007 às 08h53

Site do Escritor criado por Recanto das Letras