Paulino Vergetti  Neto_escritor

Meu_Tear Literário_

Textos

O Homem que ama!


Há tempos que venho me perguntando até onde nos levará a longevidade conseguida nos dias atuais. O que farão os velhos sobreviventes da vida e das doenças, por quanto tempo mais.
Incrível, crermos que, ao mesmo tempo em que o ser humano se prepara para pousar e habitar o Planeta Marte, desenha violentas invasões a outros países, prepara-se para um conflito nuclear sem magnitude concebível.
Admira-me a poesia está cada vez mais caindo no gosto dos amantes da leitura, e multidões se preparam, usando o próprio corpo para ceifar centenas, milhares de vidas.
E chega uma hora em que você tem que crer no homem. Crer em suas potencialidades, em sua engenhosidade, em sua espiritualidade, em sua essência. Seria crucial perdermos essa crença. Passaríamos a ser quase irracionais.
Enquanto um homem chora outro sorrir e assim é o teatro natural que a vida nos dá, fazendo-nos de pacientes personagens temporárias. O treino para essa encenação é o que mais nos requer. Precisamos criar valores plausíveis de serem cultivados. O homem não é apenas isso que estar aí, envergonhando esta civilização, desnorteando nossas esperanças que até há pouco eram tidas como certas.
Quanto mais estudo o Homem Moderno, mais me encontro com a imperfeição, não a da Criação, mas aquela adulterada por viéses culturais que desmontaram o projeto cheio de amor que a vida nos concede e ao mesmo tempo nos pedindo para que olhemos para as flores e nos perguntemos, por quê?
O que leva um homem a seduzir-se a si próprio e acreditar na guerra? A paz não seria bem mais fácil de cultivar-se?
O mesmo homem que ora, condena o inocente. Então, será que nosso cérebro seria capaz de ser bem maior do que tudo o que pensamos e desejamos fazer? Será que cada homem que nasce é um louco que evolui?
Há mudanças que são mesmo, psicóticas.Vimos esse homem de quem falo neste texto a realizar absurdos inconcebíveis de serem atribuídos a um ser  que se diz humano. Um homem pode perdoar-se, se mata e esquarteja outro homem? Não há motivos justificáveis.
Qual seria o valor de uma prisão para um condenado por crimes hediondos?
Teria que escrever livros grossos para ousar falar sobre o homem e dele. Há dentro do homem, muitos outros homens regidos por uma bioquímica, ora perversa, ora amável. Muitos são os lobos.
Não sei me definir. Um homem. Um ser que também aje por impulsos e que os anos não ensinaram tudo. Não diria, jamais, de mim, que sou um Ególatra. Não. Meu feitio está mais para a doação desenfreada. Mas continuo estudando minhas reações para ver se consigo entender como meu cérebro gosta de agir e os riscos que ele me oferece com essas suas qualidades.
O amor desestrutura todo o mal. Essa é minha maior esperança. Servir é a palavra de ordem.
Dedico este texto à minha querida amiga Roziane Leite, vitimada tão cedo por terrível doença, uma alma que se debruçava como poucas,para servir ao próximo. Parece que havia a seu lado, todo o tempo, um Querubim que pedia que ela ajudasse às pessoas, e as nominava. Mas os melhores, parece, Deus leva antes dos outros, para servirem no céu!
O Homem tem que aprender, urgentemente, a amar!!!
Paulino Vergetti Neto
Enviado por Paulino Vergetti Neto em 03/04/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulino Vergetti Neto.(paulinovergettineto.blogspot.com/)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras