Paulino Vergetti  Neto_escritor

Meu_Tear Literário_

Textos

Como votará o brasileiro?



Os cem continhos de Real que muitos receberão pela compra de seus votos, lhes farão render uma grande sexta de faltas; SEM Educação, SEM Segurança pública, SEM Saúde Pública de boa qualidade, e por aí vai!
Eleições à vista!
É hora de repensar o passado no sentido de quem elegemos e quais as ações que esses eleitos nos proporcionaram. É hora de repensar valores, reouvir proposta no silêncio de nossas consciências enquanto homens, eleitores e cidadãos. Quem estará disposto a fazer esse exercício?
O que planejamos para nosso futuro imediato e para o outro, a médio e longo prazos? Nossos filhos e nossos netos poderão ser vítimas dessas escolhas nossas, e serão, certamente, porque nós, eleitores, somos os detentores do poder HOJE!
Vejo o próximo pleito eleitoral de três de outubro de 2018 com bastante preocupação.
Não confio nas instituições que estarão envolvidas nele, diante das fartas e abusivas ações desses mesmos que, em passado recentíssimo, usaram as leis para desproteger os cidadãos brasileiros.
Procuro me redimir dessa desconfiança e não encontro substância inteligível dentro de mim para acreditar. Penso que teremos menos abusos do que nos pleitos passados, mas basta um pouquinho de fragilidade dessas instituições para decidir de forma errônea os resultados das próximas eleições.
Estejamos de olho e prontos para agir. Não importa o tamanho das batalhas que necessitarmos participar para termos uma guerra limpa e justa. As esquerdas, melhor dizendo, os radicais das esquerdas, os fanáticos por natureza, os descompromissados com a ordem, todos, farão o esforça sobrenatural para caminharmos por veredas horrendas, ao invés de caminhos Cívicos.
O mais importante de tudo é combatermos o Bom Combate, como a Espada do Apóstolo Paulo bem fez! Agir para não nos arrependermos de tudo e para sempre.
É vergonhoso vermos a batalha sebosa de um punhado de oportunistas que ontem subtraíram indevidamente o Erário, para se locupletarem, tentando tornar elegíveis criminosos já condenados pela Justiça, após muito clamor social, para que se torne elegíveis. Não arredemos nossos olhos dessas manobras espúrias. É nosso dever, enquanto eleitores cidadãos, vigiarmos e combatermos o mau uso do Erário e o que pertencer ao Estado Brasileiro.
Muitos, inadimplentes com a vergonha nacional, subirão em palanques apodrecidos e, com a voz estentórica, tentarão calar o legítimo raciocínio de nosso povo menos avisado.
Não reconheço entre os atuais parlamentares brasileiros, NENHUM que nos deixe de todo confortados, e que sejam, seguramente, candidatos limpos e merecidos de serem reeleitos. Procuro em todos os dias e não os encontro. Isso é triste, muito triste, mesmo, mas é a realidade que consigo enxergar sem carecer de realizar muito sacrifício.
Esse pleito, especificamente, ainda está silencioso demais. Acredito que a grande maioria dos candidatos estão envergonhados de falar em público e mostrar suas caras diante do povo que os elegeu no pleito passado.
Para bom entendedor, poucas palavras bastam, já nos ensina o velho ditado popular. O voto é nossa principal arma para mudarmos a cara deste país maravilhoso, tão vilipendiado por milhares de latrocinistas que, roubando a Saúde Pública de milhões de brasileiros pobres, conseguem fomentar verdadeiras carnificinas.
Morrem, silenciosamente, todos os dias, enorme quantitativo de inocentes, neste país. Isso tem que mudar. Como? Nossa única opção democrática e, portanto, legítima, é pelo voto popular consciente e livre.
Quem viver verá. O Brasil voltará aos trilhos da Ordem e do Progresso. Teremos um país livre e soberano onde os corruptos não terão praias para tomarem seus banhos de lama!

Paulino Vergetti Neto
Enviado por Paulino Vergetti Neto em 04/08/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulino Vergetti Neto.(paulinovergettineto.blogspot.com/)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras