Paulino Vergetti  Neto_escritor

Meu_Tear Literário_

Textos

Amar teu pranto



Esquecida de se anunciar a madrugada chega sem a lua
e as estrelas zombam do meu pranto inocente
e as lágrimas continuam verdadeiras,
mas ainda assim, mentem.

Ardem os sentimentos.
Alguém me obriga a viver,
os pensamentos se dividem,
não me sinto livre...estou triste,
sem saber o porquê do mal que me existe.

A vida tem dessas coisas:
maltrata e julga a gente
como famintos pecadores inocentes,
lesmas corredoras das fortunas dos prazeres.


Parece que o destino não é meu
e o amor sufoca meus prantos,
que melhor do que amar,
parece-me ser esconder o pranto.

Defendo-me de tudo
Sei eu sofro, sei que amo.
sei que tudo passa enquanto canto,
mas que outra canção fugiu para bem longe.


Percebo o coração sorrindo,
destoando da face triste...
é quando sei que um grande amor ainda existe
e se esforça a alimentar meu pranto.


Paulino Vergetti
Poema inédito (14/06/2020)
Paulino Vergetti Neto
Enviado por Paulino Vergetti Neto em 14/06/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras